Bolsonaro acusa Dallagnol e diz que diálogos revelam perseguição à sua família

0

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 6ª feira (26.fev.2021) que houve “perseguição” sua família em diálogos entre o procurador Deltan Dallagnol e seus pares no Ministério Público. As críticas foram publicadas nas páginas oficiais de Bolsonaro em todas as redes sociais

Segundo o presidente, “além de quebra criminosa de sigilos”, houve “a tentativa de cooptar o entorno do Presidente da República para a escolha do PGR [procurador-geral da República] em 2019”.

Na publicação, Bolsonaro compartilhou um texto no qual está a foto do filho mais velho do presidente e senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), investigado por comandar um suposto esquema de “rachadinhas na Alerj (Assembleia Legislativa no Rio de Janeiro).

Dallagnol querer dizer ser brincadeira tais diálogos, demonstra querer fugir de sua responsabilidade”, escreveu o presidente.

Bolsonaro diz que as mensagens do vazamento foram trocadas em 2019, quando ele já era presidente da República. E finaliza afirmando: “ISSO É CRIME! (sic)”.

Flávio Bolsonaro compartilhou a mesma mensagem para os inscritos em seu canal no Telegram nesta 6ª feira (26.fev).

Em 12 de fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro disse que foi citado nas mensagens apreendidas pela Polícia Federal e obtidas por hackers que invadiram celulares de autoridades brasileiras, como o ex-juiz Sergio Moro e procuradores da Lava Jato.

A apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou na ocasião que solicitaria acesso ao conteúdo para depois divulgá-lo.

“Para que não haja dúvida, mandei pedir aquela matéria hackeada que está na mão do PT, do Lula, onde tem meu nome lá. Alguma coisa já passaram para mim. Vocês vão cair para trás. Chegando eu vou divulgar. O Lula não vai, já falou que não vai. Eu vou divulgar”, disse.

As conversas, atribuídas a procuradores da operação Lava Jato, como Deltan Dallagnol, e a Moro, mostram que o então juiz federal fazia pedidos e orientações ao colega. O ex-ministro também informava ao então coordenador da Lava Jato no Paraná, antecipadamente, medidas judiciais adotadas contra investigados. Tanto Moro quanto os procuradores não reconhecem a autenticidade das mensagens.

Em 9 de fevereiro, por 4 votos a 1, os ministros da 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) mantiveram a decisão de Ricardo Lewandowski que garantiu ao ex-presidente Lula o acesso aos diálogos.

Segundo Bolsonaro, autoridades teriam falado sobre a vida financeira dele e de sua família nas mensagens.

“Você vê a perseguição ali, conversa de autoridades, falando como é que entravam na minha vida financeira, da minha família. Você tem que entrar, mas tem que ter ordem judicial”, declarou a apoiadores.

O presidente afirmou que quer “pegar o cara que vendia informações dentro do Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras]”.

“Já tenho alguma coisa que tem chegado para mim, agora vou conseguir, espero que o Supremo me dê. Deu para o Lula, já que a imprensa diz que meu nome tá lá dentro, dê para mim também”, completou.

Poder 360

Polícia prende suspeito de roubar e estuprar duas mulheres em Pinheiro

0
Prisão aconteceu nesta sexta-feira (26). De acordo com a polícia, após terem seus celulares roubados, as duas foram estupradas pelo suspeito.

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) prendeu nesta sexta-feira (26), um homem suspeito de ter praticado um roubo seguido de estupro contra duas mulheres em Pinheiro, cidade localizada a 119 km de São Luís.

O nome e a idade das vítimas não foi divulgado. De acordo com a polícia, o suspeito invadiu a casa onde elas moram e roubou dois aparelhos celulares. Em seguida, ele estuprou as vítimas.

As investigações sobre continuam para tentar identificar outras vítimas do suspeito. Após a prisão, ele foi encaminhado para Unidade Prisional de Pinheiro, onde vai permanecer à disposição da justiça.

G1 Maranhão

Bolsonaro entrega à Câmara PL que permite privatização dos Correios

0

O presidente Jair Bolsonaro entregou nesta quarta-feira (24) ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o projeto de lei que possibilita a privatização dos Correios.

Chamado de Marco Regulatório para o setor postal, o texto também define a obrigatoriedade do cumprimento de metas de universalização e qualidade dos serviços e estabelece que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) será a Agência Reguladora dos serviços postais.

Segundo o Palácio do Planalto, além do PL entregue ao Congresso, serão realizados debates e estudos para a definição do melhor modelo de desestatização, que pode ser, por exemplo, a venda direta, a venda do controle majoritário ou de apenas parte da empresa. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contratou a Accenture, empresa de consultoria que estuda o melhor modelo de negócio para a privatização da empresa estatal.

O edital será remetido ao Tribunal de Contas da União (TCU) e, assim que liberado pela Corte, será liberado para a realização do leilão. O PL estabelece a nova organização e a manutenção do Sistema Nacional de Serviços Postais, para que sejam explorados em regime privado, “respeitando, porém, a Constituição Federal em seu Artigo 21, que estabelece à União manter o serviço postal, o que será delegado ao Operador Postal Designado no decorrer do processo de privatização dos Correios”.

O texto do PL determina que a União mantenha o Serviço Postal Universal em todo território nacional, de modo contínuo e com modicidade de preços. A proposta prevê ainda a criação da Agência Nacional de Comunicações, em substituição à atual Agência Nacional de Telecomunicações, que passará a regular também os serviços do Sistema Nacional de Serviços Postais, alterando a Lei nº 9.472 de julho de 1997.

Ao justificar a medida, o Ministério das Comunicações argumenta que a transformação digital do setor postal no Brasil e no mundo demandam elevados investimentos por parte dos Correios.

“Todavia, os esforços empreendidos não têm sido suficientes para que a empresa se atualize na velocidade requerida. Por ser uma empresa pública, ela não conta com o dinamismo que o setor demanda atualmente, tampouco a União tem capacidade fiscal para suportar os investimentos por meio de aportes”, disse o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

O presidente, pelas redes sociais, também comentou sobre a entrega do projeto de lei. Bolsonaro disse que o Brasil “segue firme no caminho da liberdade econômica”.

Decisão coletiva
Ao receber a proposta elaborada pelo Poder Executivo, o deputado Arthur Lira afirmou que haverá uma discussão do projeto e a decisão será coletiva dos congressistas.

“O relacionamento das duas Casas [Câmara e Senado], continua com muito diálogo e vamos cumprir o que prometemos ao povo brasileiro”, disse.

Maranhão recebe mais 49.500 doses da vacina contra a Covid-19

0
Lote chegou no início da tarde no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís. Segundo o governo do Maranhão, as doses serão usadas para imunizar 8% dos profissionais da saúde e idosos de 85 a 89 anos.

O Maranhão recebeu, no início da tarde desta quarta-feira (24), 49.500 doses da vacina Oxford/AstraZenca contra a Covid-19. O lote chegou ao estado em um voo da Latam, por volta das 12h30, no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o novo lote será destinado para vacinar 8% dos trabalhadores da saúde e idosos de 85 a 89 anos.

Ao G1, a pasta informou que começou a distribuição das doses da vacina ainda na tarde desta quarta-feira, quando repassou 9.162 doses do imunizante para São Luís. Na quinta-feira (25), as vacinas serão entregues aos três municípios da Região Metropolitana (Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar) e, na sexta-feira (26), para os demais municípios.

Após o recebimento do lote as caixas seguiram, sob escolta da Polícia Federal, do aeroporto até a Rede de Frio do Estado, onde devem ficar armazenadas até serem distribuídas. Este é a segundo lote da vacina Oxford/AstraZeneca que chega ao Maranhão. Em 24 de janeiro, o estado havia recebido 48.500 doses do imunizante.

O Ministério da Saúde informou que as doses da vacina de Oxford entregues correspondem todas à primeira aplicação – porque a segunda dose só será aplicada 12 semanas após a primeira. Ambas as vacinas são aplicadas em duas doses.

CoronaVac

Pelo cronograma divulgado pelo Ministério da Saúde, o Maranhão deve receber ainda 29.600 doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Segundo o governo do Maranhão, as doses devem chegar na quinta-feira (25) ao estado.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que os estados deverão reservar a segunda dose da CoronaVac para garantir que ela seja aplicada de 2 a 4 semanas depois da primeira.

Vacinação no Maranhão

Até a noite de terça-feira (23), o Maranhão já havia aplicado 167.699 doses de vacinas contra a Covid-19. A informação é resultado de uma parceria do consórcio de veículos de imprensa, formado por G1, O Globo, Extra, O Estadão de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL.

Das doses aplicadas, 130.996 foram na primeira dose, o que corresponde a 1,84% da população vacinada. Já a segunda dose, foi aplicada em 36.673 pessoas, ou 0,52%.

De acordo com o governo do Maranhão, desde o início da campanha de vacinação, o estado já recebeu 356.040 doses de vacinas contra a Covid-19. Destas, 258.040 foram da CoronaVac, enviadas em 3 lotes, e 98.000 da vacina de Oxford/AstraZeneca, enviadas através de dois lotes.

Campanha em São Luís

A expectativa, é que com a chegada da vacina, a campanha de vacinação seja retomada em breve em São Luís. A capital maranhense paralisou a imunização em 18 de fevereiro, após o fim do estoque da vacina. A imunização seguiu para quem precisava tomar a 2ª dose da CoronaVac.

G1 Maranhão

Colisão entre motocicleta e caminhão deixa um morto na BR-316 no MA

0
Acidente aconteceu por volta das 18h20 dessa quarta-feira (24) no Km 560,6 da rodovia federal, próximo do povoado Altos, em Caxias.

A colisão entre uma motocicleta e um caminhão no início da noite dessa quarta-feira (24) causou a morte de um motociclista na BR-316 no município de Caxias, a 360 km de São Luís.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu por volta das 18h20 dessa quarta no Km 560,6 da rodovia federal, próximo do povoado Altos, em Caxias.

O acidente do tipo colisão lateral entre uma motocicleta de placas do Maranhão e um caminhão de placas também do estado Maranhão ocorreu após o condutor da motocicleta acessar a BR-316 sem observar a presença do caminhão que seguia o fluxo.

De acordo com os policiais rodoviários, o condutor da motocicleta, um homem de 53 anos de idade, após a batida não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu minutos depois no local. Ele morava no povoado Altos.

Segundo a PRF, o motorista do caminhão fugiu logo após a colisão. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) de Caxias compareceu no local do acidente e realizou a remoção do corpo do motociclista na BR-316.

G1 Maranhão

Brasiliense supera Remo nos pênaltis e conquista a Copa Verde 2020

0
Fora de casa, Jacaré atuou maior parte do 2º tempo com dez jogadores

O título da Copa Verde 2020 é do Brasiliense. No final da tarde desta quarta-feira (24), em Belém, o Jacaré superou o Remo nos pênaltis, por 5 a 4, após vitória remista por 2 a 1 no tempo normal, resultado que igualou o placar agregado em 3 a 3 – no jogo de ida, em Brasília, o Jacaré vencera também também por 2 a 1. A conquista é inédita na história do clube do Distrito Federal, que chegou à final pela primeira vez e atuou boa parte do segundo tempo com um homem a menos. A partida no estádio Mangueirão foi transmitida ao vivo pela TV Brasil.

Com o título, o Brasiliense foi agraciado com três troféus: um tradicional; outro vivo, com uma muda que será plantadas na sede do clube; e um terceiro de madeira certificada, confeccionado pelo artista plástico Paulo Alves. O resultado garante ao campeão um lugar automático na terceira fase da Copa do Brasil de 2021 – o que já assegura uma premiação no valor de R$ 1,5 milhão, concedida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O Real Brasília, terceiro colocado na edição 2020 do Campeonato do Distrito Federal, herda a vaga na primeira fase que seria do Jacaré.

É o segundo vice-campeonato do Remo na história da Copa Verde. Os paraenses foram derrotados na final de 2015 pelo Cuiabá. Ao mesmo tempo, foi a segunda vez que uma equipe brasiliense levou a melhor sobre uma do Pará, nos pênaltis, em uma decisão do torneio regional. Em 2014, na primeira edição da competição, o Brasília superou o Paysandu na disputa na marca da cal.

Foi o último duelo no Mangueirão, pelo menos, até o ano que vem. O principal estádio de Belém será fechado para uma reforma que o adaptará aos padrões exigidos pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) para jogos internacionais. A capacidade será expandida de 35 mil para 55 mil pessoas. Segundo o Governo do Estado do Pará, a obra está avaliada em R$ 160 milhões, com estimativa de 18 meses de obra.

Jacaré segura pressão

Os primeiros 45 minutos no Mangueirão foram de domínio total do Remo. O gramado pesado, devido à chuva que desabou sobre Belém pouco antes do jogo começar, dificultou a troca de passes. A sensação era de que a rede só balançaria em alguma bobeada defensiva ou na bola parada. Não deu outra. Aos 10 minutos, o Remo abriu o placar. O meia Felipe Gedoz lançou, o volante Sandy errou na tentativa de corte e o atacante Hélio bateu na entrada da área, mas o goleiro Edmar Sucuri fez a defesa. Quinze minutos depois, não teve jeito. Felipe Gedoz cobrou falta na área, próximo à trave direita, e o zagueiro Fredson, com liberdade, cabeceou para o gol.

O Brasiliense só conseguiu assustar pela primeira vez aos 42 minutos, em chute de Zé Love, que passou rente ao travessão. Na outra oportunidade que teve, no começo do segundo tempo, o atacante não perdoou. Aos quatro minutos, o lateral Diogo cruzou pela direita e o camisa 9 surgiu às costas do zagueiro Rafael Jansen, escorando de cabeça e deixando tudo igual. Dez minutos depois, porém, um mesmo lance dificultou a vida do Jacaré. Ao cometer uma falta, o lateral Wagner Balotelli recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Felipe Gedoz cobrou o tiro livre e Rafael Jansen, na grande área, se redimiu ao recolocar o Leão Azul na frente.

O jogo se tornou ataque remista contra defesa brasiliense. O técnico do Jacaré, Vilson Tadei, recuou a equipe ao substituir os quatro principais homens de frente – os meias Luquinhas e Zotti e os atacantes Maicon Assis e Zé Love – para compensar a perda de Balotelli. No Remo, por sua vez, o técnico Paulo Bonamigo promoveu a entrada dos atacantes Dioguinho, Tiago Miranda e Laílson. A pressão azulina foi grande. Aos 33 minutos, Hélio fez fila pela esquerda e tocou para Dioguinho girar na área e chutar no travessão. Na sequência, Edmar Sucuri salvou uma finalização de Tiago Miranda. Aos 42, Dioguinho cruzou da direita e Laílson, de coxa, mandou ao lado.

Em meio à pressão remista, o Brasiliense teve a última grande chance do jogo, com Jéferson Maranhão, após um cruzamento pela esquerda do lateral Peu, mas a finalização, mesmo com liberdade, foi para fora. Com o 2 a 1 inalterado, a decisão foi nos pênaltis. O meia Lucas Siqueira desperdiçou a segunda batida remista, defendida por Edmar Sucuri, mas o Jacaré não aproveitou, pois Sandy teve o chute salvo pelo goleiro Vinícius. O placar seguiu igual até a sexta série de cobranças, quando Diogo fez o quinto gol brasiliense e o azulino Wellington Silva mandou por cima, para explosão de alegria do elenco do Distrito Federal.

Agência Brasil

Nova Olinda do MA registra casos de COVID 19 nesta quarta-feira (24).

0

A Secretaria de Saúde de Nova Olinda do Maranhão, divulgou às 17:30 horas desta  quarta-feira (24), o Boletim Epidemiológico.

Foram realizados 11 testes nesta terça-feira (24). Sendo 6 descartados e 5 positivos já declarados curados pelos testes tipo IGG e IGM.

Todos os pacientes testados estavam já aguardando o período correto para a realização dos testes.

Nova Olinda do Maranhão já realizou um total de 1.083 testes.

O número de casos confirmados subiu de 450  para 455 desde o início da Pandemia.

183  pacientes do sexo masculino e 269 pacientes do sexo feminino.

447 pacientes já estão curados em Nova Olinda do Maranhão.

 

Vereador Ronildo da Farmácia promove mais uma ação social.

1

Pelo 2º mês seguido, o vereador Ronildo Carvalho (Ronildo da Farmácia), realiza mais uma ação social.

Fruto de uma proposta de campanha, o parlamentar utiliza o seu salário para a promoção de uma ação social. Empresário bem sucedido em Nova Olinda do Maranhão, o parlamentar faz questão de ajudar um pouco mais algumas famílias de Nova Olinda do Maranhão.

Neste mês de fevereiro, o parlamentar fez a distribuição de alguns cestas de alimentos, conforme as fotos e a nota de aquisição.

Queremos que outras pessoas também entrem para nos ajudar nessas ações, empresários, profissionais liberais. Principalmente agora nestes tempo difíceis de Pandemia”. Frisou o parlamentar.

Nosso blog é testemunha do trabalho do empresário mesmo antes de ser parlamentar. Em nossas campanhas solidárias sempre fez questão de ajudar como empresário.

Neste mês de fevereiro foram feitas 22 cestas de alimentos, que foram entregues nos povoados Monte Alegre, Pedreira II e Pelônea e bairros da cidade. O empresário e advogado Weba Neto também fez doações de cestas para a ação social.

 

Câmara Municipal de Caxias suspende atividades após 14 casos de Covid-19 em servidores

0
De acordo com o presidente da Câmara, Teódolo Aragão, durante esse tempo haverá uma higienização do local e não há previsão de retomada dos trabalhos de forma presencial.

A Câmara Municipal de Caxias suspendeu as atividades internas e externas por 15 dias, após quatorze funcionários serem diagnosticados com Covid-19. De acordo com o presidente da Câmara, Teódolo Aragão, durante esse tempo haverá uma higienização do local e não há previsão de retomada dos trabalhos de forma presencial.

“Com essa situação, a gente vai permanecer de forma remota ate terminar a pandemia. A gente prefere deixar as seções de forma remota até isso acabar”, diz o presidente.

As sessões ordinárias, sessões solene, audiências públicas e reuniões partidárias estão suspensas até o dia 5 de março, podendo tal prazo ser prorrogado a qualquer tempo.

Segundo o Comitê de Enfrentamento à Covid-19, dez leitos do Hospital Centro Médico foram desativados em dezembro de 2020. Das três unidades que eram dedicadas ao tratamento da doença no município, apenas duas possuem leitos de UTI.

Na rede municipal, a taxa de ocupação dos leitos de UTI atingiu os 90%, já o de internação clínica estavam 75% ocupados.

G1 Maranhão

Bolsonaro entrega medida provisória para privatização da Eletrobras

0

O presidente Jair Bolsonaro entregou pessoalmente ao Congresso Nacional a medida provisória (MP) de abertura de capital da Eletrobras, com o objetivo de privatizar a companhia. Acompanhado de ministros e auxiliares, Bolsonaro foi a pé do Palácio do Planalto ao Congresso, onde se encontrou com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).  

“Estou tendo a grata satisfação de retornar a essa Casa, agora trazendo uma medida provisória que visa a capitalização do sistema Eletrobras. Então, a Câmara e o Senado vão dar a devida urgência à matéria, até por ser uma medida provisória”, disse o presidente em rápido pronunciamento. Segundo ele, a agenda de privatizações de seu governo seguirá a “todo vapor”. “Nós queremos, sim, enxugar o Estado, diminuir o tamanho do mesmo, para que nossa economia possa dar a satisfação, dar a resposta que a sociedade precisa”.

De acordo com o presidente da Câmara, por onde começará a tramitação da MP, o texto terá análise acelerada. “Então, o Senado cumprirá o seu papel e a Câmara iniciará com muita rapidez a discussão dessa medida provisória, já com pauta para a próxima semana no plenário da Câmara dos Deputados”, disse Arthur Lira.

O processo de privatização da Eletrobras começou a ser discutido em novembro de 2019, quando o governo federal enviou um projeto de lei para vender a companhia, mas o texto segue sem avanço no Legislativo. Entre outros pontos, a proposta estabelece que o processo de desestatização será executado por meio de uma operação de aumento do capital social da empresa, com a venda de novas ações ordinárias, que são as ações que dão direito a voto, em bolsa de valores. Com isso, a participação da União no capital social da estatal será diluída e o Estado deixará de ser o acionista majoritário. A União possui atualmente 51% das ações ordinárias da empresa.

O texto do governo determina que, ao final do processo, nenhum acionista privado poderá ter mais de 10% do capital votante da Eletrobras. O projeto permite ainda que a empresa realize uma segunda oferta de ações de propriedade da União.

A privatização não atingirá a Eletronuclear, que controla as usinas de Angra 1, 2 e 3, e a Itaipu Binacional que, por questões constitucionais, devem ficar sob controle da União, sob a gestão de uma nova empresa pública que será criada após a privatização da Eletrobras.

Fato Relevante

Em Fato Relevante enviado a agentes de mercado na tarde de hoje, a Eletrobras informou que a medida provisória possibilita o início dos estudos da modelagem da privatização, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e inclui algumas modificações no texto do projeto de desestatização, o PL 5.877/1209.

Dentre as modificações, segundo a Eletrobras, estão a inclusão da prorrogação, por 30 anos, da usina hidroelétrica de Tucuruí, controlada pelas Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A (Eletronorte), que atualmente está no regime de produtor independente (e não sob regime de cotas); a obrigação de aportes de financeiros para revitalização dos recursos hídricos das bacias hidrográficas na área de influência dos reservatórios das usinas hidrelétricas de Furnas (R$ 230 milhões em 10 anos), cujos contratos de concessão sejam afetados pela MP, e para redução estrutural de custos de geração de energia na Amazônia Legal (R$ 295 milhões em 10 anos), diretamente pela Eletrobras ou, indiretamente, por meio de sua subsidiária Eletronorte, além da revitalização dos recursos hídricos da bacia do Rio São Francisco (R$ 3,5 bilhões em 10 anos, que já era previsto no PL).

A MP também prevê nova repartição de receita entre União (por meio do pagamento de bonificação de outorga) e a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), por meio do pagamento de cotas anuais em 30 anos; e a previsão de criação de ação preferencial de classe especial, de propriedade exclusiva da União, que dará o poder de veto em deliberações sociais previstas na MP, as chamadas golden shares.

Eletrobras

Maior companhia do setor elétric​o da América Latina, a Eletrobras detém um terço da capacidade geradora de energia elétrica instalada no país. A companhia também possui quase a metade do total de linhas de transmissão.

Agência Brasil